media
media
media
media

Ruschel Arquitetura e Urbanismo vence Concurso Cultural Veka Brasil 2016

A arqui­te­ta cata­ri­nen­se Marí­lia Rus­chel, do escri­tó­rio Rus­chel Arqui­te­tu­ra e Urba­nis­mo, em par­ce­ria com a Lohn Esqua­dri­as, foi a ven­ce­do­ra da segun­da edi­ção do Con­cur­so Cul­tu­ral VEKA, con­cor­ren­do com pro­je­tos de todo o Brasil.

Foram 30 pro­je­tos ins­cri­tos, 5 fina­lis­tas esco­lhi­dos por méri­to de pro­je­to por um júri espe­ci­a­li­za­do e a vota­ção popu­lar que deu a arqui­te­ta o mai­or núme­ro de votos.

O júri foi com­pos­to pelos arqui­te­tos Edu­ar­do Nar­del­li, pro­fes­sor da Uni­ver­si­da­de Mac­ken­zie e vice-pre­si­den­te de Arqui­te­tu­ra da regi­o­nal do Sina­en­co em São Pau­lo – Sin­di­ca­to Naci­o­nal das Empre­sas de Arqui­te­tu­ra e Enge­nha­ria Con­sul­ti­va, Tati­a­na Filo­me­no, pre­si­den­te da AsBEA/SC – Asso­ci­a­ção Bra­si­lei­ra dos Escri­tó­ri­os de Arqui­te­tu­ra, Ricar­do Fon­se­ca, ex-pre­si­den­te da AsBEA/SC – Asso­ci­a­ção Bra­si­lei­ra dos Escri­tó­ri­os de Arqui­te­tu­ra e Gio­va­ni Bonet­ti, do escri­tó­rio Mar­chet­ti Bonet­ti e autor do pro­je­to ven­ce­dor da pri­mei­ra edi­ção do concurso.

O Con­cur­so tem o obje­ti­vo de valo­ri­zar e divul­gar pro­je­tos arqui­tetô­ni­cos de des­ta­que no país que tenham uti­li­za­do per­fis de PVC VEKA em sua exe­cu­ção. Os tra­ba­lhos foram ava­li­a­dos pelo uso efi­ci­en­te das aber­tu­ras, har­mo­ni­za­ção do PVC com a cons­tru­ção, cri­a­ti­vi­da­de e inovação.

O prê­mio será entre­gue numa fes­ta espe­ci­al, que acon­te­ce na Casa Cor SP, dia 14 de junho, onde será o lan­ça­men­to ofi­ci­al do pri­mei­ro Anuá­rio VEKA, com a foto do pro­je­to ven­ce­dor na capa, além da publi­ca­ção do pro­je­to no anuá­rio CASA VOGUE 2017.

fon­te:   http://arqsc.com.br/site/ruschel-arquitetura-ganha-premio-veka-de-arquitetura/

 

RESIDÊNCIA AN

A resi­dên­cia de 915 m²  foi implan­ta­da em pri­vi­le­gi­a­do ter­re­no de esqui­na, em um con­do­mí­nio fecha­do, em Jure­rê Inter­na­ci­o­nal, Florianópolis.

 

O amplo pro­gra­ma de neces­si­da­des desen­vol­ve-se basi­ca­men­te em dois pavi­men­tos, além do apar­ta­men­to do casei­ro no subsolo.

 

No tér­reo encon­tra-se a área soci­al, com con­for­tá­vel sala de estar de pé direi­to duplo, espa­ço gour­met e pis­ci­na; a gara­gem e a suí­te de hós­pe­des loca­li­zam-se rebai­xa­dos 50 cm em rela­ção aos demais ambi­en­tes e a aces­si­bi­li­da­de é garan­ti­da a par­tir de ram­pas e elevador.

 

No segun­do pavi­men­to fica a par­te ínti­ma, onde meza­ni­no e suí­tes usu­fru­em de visu­ais por meio de ter­ra­ços com pergolados.

 

A facha­da prin­ci­pal de con­fi­gu­ra­ção line­ar é com­pos­ta de chei­os e vazi­os, com super­fí­ci­es de pedra, alve­na­ria com rebo­co rús­ti­co, vidro e que­bra-sóis de madei­ra, os quais pro­pi­ci­am pri­va­ci­da­de ao mes­mo tem­po em que cria pro­te­ção solar.

 

Esqua­dri­as de madei­ra gara­pei­ra com­põe essa facha­da, enquan­to esqua­dri­as de PVC ambi­en­tam o inte­ri­or da residência.

 

O aces­so prin­ci­pal na esqui­na da casa é mar­ca­do por uma alve­na­ria em “L” e per­go­la­do com cober­tu­ra de vidro. Um gene­ro­so per­go­la­do no segun­do pavi­men­to qua­li­fi­ca a varan­da do casal e cria a mar­ca­ção des­sa esqui­na na esca­la urbana”.

DEIXE UM COMENTÁRIO